domingo, 18 de maio de 2008

ARTE E TEORIAS DA ARTE

Andy Warhol, o artista pop, expõe fac-símiles de caixas de cera Brillo, em pilhas muito bem arrumadas, como se estivessem no armazém de um supermercado. Por acaso são de madeira, pintadas para parecerem de cartão. Acontece que o preço destas caixas é 2x103 o das suas contrapartes domésticas da vida real, uma diferença dificilmente atribuível à sua maior durabilidade. De facto, os fabricantes de cera Brillo podiam perfeitamente, com um pequeno acréscimo de custo, fazer as caixas de cera em contraplacado, sem que estas se tornassem obras de arte, e Warhol podia fazer as suas em cartão, sem que deixassem de ser arte.
Então, por que motivo os fabricantes de cera Brillo não podem produzir arte, e por que motivo Warhol não pode deixar de fazer obras de arte. Bem, as dele são feitas à mão, não há dúvida. Mas a diferença não pode consistir na maneira de produzir: um homem que esculpisse seixos a partir de pedras e montasse cuidadosamente uma obra chamada Pilha de Cascalho poderia invocar a teoria do valor-trabalho para explicar o preço que pede, mas a questão é: o que a torna arte?
Pouco importa que a caixa de cera Brillo possa não ser arte de boa qualidade, e muito menos uma grande obra de arte. O que impressiona é o facto de ser arte. Mas, se é arte, o que impede as indiscerníveis caixas de cera Brillo que estão no armazém de o serem igualmente?
Em última análise, aquilo que distingue uma caixa de cera Brillo de uma obra de arte que consiste numa Caixa de Brillo é uma certa teoria da arte. É a teoria que a eleva ao mundo da arte e a impede de se reduzir ao objecto real que é. É claro que, sem a teoria, é improvável que a vejamos como arte e, a fim de a vermos como parte do mundo da arte, temos de dominar uma série de teorias da arte, além de uma parte considerável da história da pintura. O mundo tem de estar preparado para certas coisas, e isto tanto se aplica ao mundo real, como ao mundo da arte. O papel das teorias artísticas, hoje como sempre, é tornar possível o mundo da arte e a arte. Presumo que nunca tenha ocorrido aos pintores de Lascaux que estavam a produzir arte naquelas paredes. A não ser que no neolítico houvesse teóricos de estética.
Arthur Danto

7 comentários:

isabel disse...

Venho felicitá-lo por esta iniciativa. É um blog agradável e com imagens muito bem seleccionadas. Vou dá-lo a conhecer na minha escola e aos meus alunos. Também gostei muito do blog sobre os "Direitos Humanos." Os outros ainda não tive tempo de os ler.
Parabéns a todos os envolvidos nestas iniciativas.
Colega de Filosofia
Isabel

António Paulo disse...

Muito obrigada Isabel pelas suas palavras de incentivo. Já agora, se não for indiscrição, qual a escola em que lecciona?
António Paulo

isabel disse...

Sou professora na Escola 3ºCiclo/ Sec. Frei Rosa Viterbo- Sátão. Estive alguns anos efectiva em Oliv. de Frades mas concorria todos os anos a destacamento e por isso nunca leccionei nessa escola.
Tenho fortes ligações a essa terra. Conhece o restaurante D. Alves em S. Vicente de Lafões? O dono é irmão da minha segunda mãe - a minha sogra. Nas férias passo grandes temporadas aí.

Cheguei ao seu blog através do blog do Rolando e por sua vez a este através de rerum natura.
Gosto de blogs. Tenho alguns "tesouros" onde vou todos os dias como se fossem necessários para lavar a minha alma. São blogs de poesia, de encanto e de magia.
Gostava de fazer um blog semelhante ao seu na minha escola. Mas não sei como se faz isso. Não domino as novas tecnologias com destreza (mas também não sou info-excluida). Por outro lado, considero que um blog, tem que ser divulgado, conhecido, lido e comentado e para tal tem quer ser visualmente atraente, com bom conteúdo e ser constantemente actualizado. De que serve um blog que ninguém lê e comenta? É por isto que ainda não me aventurei na blogsfera.
Peço um favor. Depois de ler este comentário, não o divulgue. Não gosto muito de me expôr. O que aqui escrevi foi para me dar a conhecer e para mostrar que o mundo é pequeno.
Isabel

Hermes disse...

Olá Isabel
Em relação ao seu pedido de não publicar o seu comentário não o pude de imediato satisfazer porque mal se escreve um comentário ele automaticamente é publicado. (Não accionei a ferramenta de moderador). E depois de o ler não tive a coragem de o eliminar. Deu-me imenso prazer lê-lo, talvez dê prazer igualmente a outros também lê-lo. Não tem por isso qualquer razão para não gostar de se expor. Mas se fizer questão elimino-o.
Foi com gosto que li que esteve efectiva na escola onde lecciono há três anos lectivos e onde sou professor do quadro. Quanto ao restaurante que refere, lamento mas não o conheço pessoalmente. Trabalho em Oliveira de Frades mas não resido lá, sou de um concelho vizinho, São Pedro do Sul.
Quanto ao seu desejo de fazer um blog não desista. Eu apenas aprendi a fazer (e ainda mal) um blog em Abril último. Iniciei este blog no início de Maio e comecei outro (Katársis), que aparece anunciado no Sophia, em Abril. Aprendi numa mini-sessão sobre blogs, dinamizada na escola e por um colega. Em meia hora aprende o essencial para fazer um, e o resto tem de ser por tentativas e erros, como eu tenho feito. Não há melhor maneira de aprender.
Gostaria que nos visitasse com frequência, que o recomendasse aos seus alunos e aos nossos colegas do Sátão e obviamente, que não se coibisse de deixar de vez em quando os seus comentários que serão sempre bem-vindos.
Obrigado e um beijo
PS. Nunca leccionei no Sátão. O mais próximo que estive foi em Penalva do Castelo.
António Paulo

Hermes disse...

Já agora Isabel, se não fosse incómodo gostaria de saber qual o manual de filosfia que adoptaram para o 11º ano. Em Oliveira de Frades adoptamos, tanto para o 10º como para o 11º ano, como pode ver no blog, o Arte de Pensar.
Beijo
António Paulo

isabel disse...

Concerteza que virei mais vezes a este espaço. Já falei e mostrei a dois colegas de grupo o blog. Irei também ler e analisar com os alunos, os textos sobre a experiência estética e reflectir sobre as imagens. O pior é eles lerem o meu comentário. Ficam a saber a minha vida...
Relativamente à adopção do Manual ainda estamos um pouco indecisos. Não é fácil. Temos que pensar que é um projecto para seis anos. No décimo ano temos "A Arte de Pensar". Há três bons manuais. Pessoalmente gosto dos manuais do Luís Rodrigues mas há quem os considere um pouco desactualizados.

Quando puder vá almoçar ao restaurante do meu tio Amadeu. A aldeia de S. Vicente fica pertíssimo de Oliveira de Frades, quase se vai a pé. Não servem jantares. No restaurante D. Alves come-se a melhor vitela de Lafões. Não é por o proprietário ser irmão da minha sogra mas nesse restaurante come-se muito bem.

Também gostave que visitasse blogs de alunos da minha escola. Há um que eu gosto particularmente: "viver-a-biblioteca". Depois encontra outros.
Isabel

isabel disse...

Por lapso escrevi "gostave" mas deve ler-se gostava. Não gosto de dar erros ortográficos.
Isabel