terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O que é a ciência?

Caro Senhor
Tomo a liberdade de me dirigir a si rogando-lhe que seja o juiz numa disputa entre mim e uma pessoa minha conhecida que já não posso considerar um amigo. A questão em discussão é a seguinte: É a minha criação, a guardachuvalogia, uma ciência? Permita-me que explique a situação. De há dezoito anos para cá que, conjuntamente com alguns fieis discípulos, venho recolhendo informações relacionadas com um objecto até agora negligenciado pelos cientistas — o guarda-chuva. O resultado da minha investigação, até à presente data, encontra-se reunido em nove volumes que vos envio separadamente. Deixe-me, antecipando a sua leitura, descrever brevemente a natureza dos conteúdos aí apresentados e o método que empreguei na sua compilação. Comecei pelas ilhas. Passando de quarteirão em quarteirão, de casa em casa, de família em família, de indivíduo em indivíduo, descobri: 1) o número de guarda-chuvas existentes, 2) o seu tamanho, 3) o seu peso, 4) a sua cor. Tendo coberto uma ilha, passei às restantes. Depois de muitos anos, passei à cidade de Lisboa e, finalmente, completei toda a cidade. Estava então pronto a continuar o trabalho passando para o resto do país e, posteriormente, para o resto do mundo.
Foi neste ponto que me aproximei do meu amigo de outrora. Sou um homem modesto, mas senti que tinha o direito de ser reconhecido como o criador de uma nova ciência. Ele, por outro lado, afirmou que a guardachuvalogia não era de todo uma ciência. Primeiro, disse ele, é uma tolice estudar guarda-chuvas. Este argumento é mau, uma vez que a ciência se ocupa de todo e qualquer objecto, por muito humilde e abjecto que seja, até mesmo da «perna de trás de uma pulga». Sendo assim, por que não guarda-chuvas? Depois, ele afirmou que a guardachuvalogia não poderia ser reconhecida como uma ciência porque não trazia qualquer benefício ou utilidade para a sociedade. Mas não será a verdade a coisa mais preciosa na vida? E não estão os meus nove volumes repletos de verdades acerca do meu objecto de estudo? Cada palavra é verdadeira. Cada frase contém um facto firme e frio. Quando ele me perguntou qual era a finalidade da guardachuvalogia, senti-me orgulhoso em dizer «Procurar e descobrir a verdade é finalidade suficiente para mim». Sou um cientista puro; não tenho motivos ulteriores. Daqui se segue que a verdade seja suficiente para me sentir satisfeito. A seguir afirmou que as minhas verdades estavam datadas e que qualquer uma das minhas descobertas poderia deixar de ser verdadeira amanhã. Mas isto, disse eu, não é um argumento contra a guardachuvalogia, é sim um argumento para a manter actualizada, que é precisamente o que pretendo fazer. Façamos levantamentos mensais, semanais, ou mesmo diários, de modo a que o nosso conhecimento se mantenha actualizado. A sua objecção seguinte foi afirmar que a guardachuvalogia não continha hipóteses e que não tinha desenvolvido leis ou teorias. Isto é um grande erro. Utilizei inúmeras hipóteses no decurso das minhas investigações. Antes de entrar num novo quarteirão e numa nova secção da cidade coloquei hipóteses relacionadas com o número e com as características dos guarda-chuvas que aí seriam observados, hipóteses essas que foram, de acordo com o correcto procedimento científico, ou verificadas ou anuladas pelas minhas subsequentes observações. (De facto, é interessante notar que posso comprovar e documentar cada uma das minhas respostas a estas objecções com numerosas citações de trabalhos fundamentais, de revistas importantes, de discursos públicos feitos por cientistas eminentes, etc.) No que respeita a teorias e leis, o meu trabalho é abundante. Mencionarei, a título de exemplo, apenas algumas. Existe a Lei da Variação da Cor Relativa à Posse pelo Género. (Os guarda-chuvas que são posse das mulheres tendem a ter uma grande variedade de cores, ao passo que aqueles que são posse dos homens são quase sempre pretos.) Apresentei, para esta lei, uma exacta formulação estatística. (Veja-se vol. 6, apêndice 1, quadro 3, p. 582). Existem as Leis dos Possuidores Individuais de uma Pluralidade de Guarda-chuvas e as Leis da Pluralidade dos Possuidores de Guarda-chuvas Individuais, leis curiosamente inter-relacionadas. A inter-relação, na primeira lei, assume a forma de uma quase directa ratio com o rendimento anual, e a segunda, uma quase relação inversa com o rendimento anual. (Para uma formulação exacta das circunstâncias modificadoras veja-se vol. 8, p. 350). Há também a Lei da Tendência para Adquirir Guarda-chuvas em Tempo Chuvoso. Para esta lei forneci verificação experimental no capítulo 3 do volume 3. Realizei, igualmente, numerosas outras experiências relacionadas com a minha generalização.
Por conseguinte, creio que a minha criação é, em todos os aspectos, uma ciência genuína, e apelo para a vossa comprovação da minha opinião.
John Sommerville
Tradução e adaptação de Luís Filipe Bettencourt
Citado por David Boersema in "Mass Extinctions and the Teaching of Philosophy of Science" (Teaching Philosophy, vol. 19, n.º 3, September 1996, pp. 263-264).

TAREFA:
Pode a guardachuvalogia ser considerada uma ciência?

41 comentários:

Júlia, nº14, 11ºA disse...

Pelo que entendi, a guardachuvalogia consiste somente na catalogação de dados de forma organizada, tendo-se analisado vários fatores relativos a guarda-chuvas, desde o nº de efetivos, ás cores existentes, tamanhos, peso...
Mas isto é apenas contemplar a realidade tal como é. A ciência requer a descoberta de princípios que conectam os fenómenos naturais. Assim, embora se tenham criado hipóteses (como é referido pelo autor), estas referem-se a dados estatísticos diretamente retirados da natureza os quais se limitaram à observação a sua frequencia de certas situações (por exemplo, a Lei da Variação da Cor Relativa à Posse pelo Género). Uma vez que a guardachuvalogia nada explica, somente descreve, esta não pode ser considerada uma ciência, parecendo antes ilustrar conhecimentos do senso comum.

i disse...

Na minha opinião a guardachuvalogia não é uma ciência porque, tal como já foi referido, ilustra apenas conhecimentos do senso comum. O seu autor limitou-se a registar as características de um grande número de guarda-chuvas. Não foi estabelecida uma regra fundamental que ligasse a existência do guarda-chuva a um fenómeno que não fosse visível a olho nu, que desafiasse o próprio senso comum, que fosse difícil de explicar.
A guardachuvalogia não é uma ciência porque não explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei.

Cristiana, nº6, 11ºA disse...

Aparentemente a guardachuvalogia parece ser uma ciência, mas não é por diversas razões. Ora, quando foi dito ao autor da teoria que a guardachuvalogia não trazia qualquer utilidade e benefício para a sociedade ele respondeu que a verdade é o mais importante e precioso benefício que podemos conceber na teoria, mas a verdade é que a veracidade de algo pode não ser necessariamente útil. Todos sabemos que os livros de Ciências do futuro serão diferentes e, possivelmente, refutarão muitos factos admitidos como certos hoje em dia. E mesmo quando o autor refere que a sua teoria permite também manter viva a atualidade, isso não prova que o presente justifique o futuro. Além de tudo isto, o autor apenas se baseia no que vê todos os dias. É certo que se deu bastante ao trabalho, mas a sua teoria não passa de uma cópia das suas experiências empíricas, de modo que seria legítimo aceitar o plágio como uma teoria científica porque afinal também dá trabalho copiar, o que não parece muito correto. Acrescendo a isto, se um homem muito importante falecesse e todas as mulheres o venerassem, estas ficariam de luto durante alguns dias por todo o mundo, o que alteraria a Lei da Variação da Cor Relativa à Posse, em que as mulheres usariam guarda-chuvas pretos, tal como os homens. Assim, existe a possibilidade de falsificar a teoria. Portanto, a mera busca pela verdade e a comprovação desta por factos observáveis não implica o caráter científico da teoria.

Anónimo disse...

Na minha opinião a guardachuvalogia não pode ser considerada como uma ciência. O autor registou apenas as características de muitos guarda-chuvas. A guardachuvalogia ilustra apenas conhecimentos do senso comum, não é uma ciência porque não explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei.


márcia nº12 11c

Paula Lopes Nº15 11ºC disse...

Aparentemente pode parecer uma ciencia contudo nao o é, pois, como é referido no texto,é uma tolice estudar guarda-chuvas e por outro a guardachuvalogia não trazia qualquer benefício ou utilidade para a sociedade.
Ao contrario da ciencia a guardachuvalogia nao explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei. A Guardachuvalogia pode apenas pretende ilustar conhecimentos de senso comum, sendo que nao pode ser cosiderada ciencia.

Anónimo disse...

A guardachuvalogia não éuma ciência, é apenas algo que reune caracteristicas de vários guarda chuvas. É algo que qualquer pessoa poderia fazer , diz respeito ao senso comum.Para ser uma ciência teria que haver um conjunto de princípios, teorias e leis, teria de existir um sistema de relações, teria que se atingir um objetivo, de provar alguma coisa. Neste caso não se queria provar nem explicar nada, não foram apresentadas teorias ou métodos. Fez-se apenas uma recolha de dados e puseram-se algumas hipóteses.
Ana Luísa nº2 11ºA

Ricardo Silva 11ºC disse...

Para mim a "Guardachuvalogia" não é uma ciência. Como nos diz o texto esta candidata a ciência apenas descreve os factos, faz uma espécie de censo. Para poder ser considerada uma ciência esta tinha que procurar respostas/princípios para um problema, não explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei. Quanto muito a "Guardachuvalogia" pode ser considerada um estudo dos guarda-chuvas.

Anónimo disse...

Na minha opinião, a guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência. Isto porque apenas se baseia nas características observáveis dos guarda-chuvas, apenas descreve e ilustra o que vê. Para ser uma ciência era necessário que tivesse como objetivo a explicação de algum fenómeno e o explicitasse através de padrões e regularidades, sob a forma de lei.

Beatriz Martinho, nº1, 11ºA

Bruno F. Lima nº5 11ºC disse...

A guardachuvalogia, aparentemente pode parecer uma ciência todavia não o é, pois, como é referido no texto,é uma perda de tempo estudar guarda-chuvas e por outro lado a guardachuvalogia não trazia qualquer benefício para a sociedade.
Ao contrario da ciência a guardachuvalogia não explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei. A Guardachuvalogia apenas pretende ilustrar conhecimentos de senso comum, por isso pode ser considerada ciência.

Anónimo disse...

A guardachuvalogia pode, à primeira vista, parecer uma ciência. No entanto não o é, porque é referido no texto que é uma perda de tempo estudar guarda-chuvas e por outro lado a guardachuvalogia não trazia benefício algum à sociedade.
Ao invés do que acontece com a ciência, a guardachuvalogia não explica os padrões de qualquer tipo de fenómeno/acontecimento, não havendo, por isso, nenhuma lei que os enuncie. No máximo, a Guardachuvalogia pode ser considerada como um estudo dos guarda-chuvas.


Sara Fernandes n.º20 11.ºC

carina coelho disse...

A guardachuvalogia não é uma ciência, apesar de aparentar ser. Isto porque, analisando o texto, para ser uma ciência teria que responder a questões de um problema e não trazia qualquer benefício ou utilidade para a sociedade. Para além disto a guardachuvalogia não continha hipóteses nem tinha desenvolvido leis ou teorias.
Em conclusão, a guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência , uma vez que apenas tenta mostrar conhecimentos do censo comum.

Sara Oliveira, 11ºC, nº21 disse...

Acho que a guardachuvalogia não é uma ciência, pois só reúne diversas características para avaliar guarda-chuvas.
A guardachuvalogia ilustra o senso comum, isto porque o senso comum consiste em crenças amplamente partilhadas pelos seres humanos, justificadas pela experiência quotidiana e transmitidas de gerações em gerações de forma a serem aceites sem pôr em causa.

Tatiana disse...

Na minha opinião a guardachuvalogia não poderá ser considerada uma ciência, apesar de poder parecer que é. Isto porque, para ser considerada uma ciência tería de responder a questões de um problema, e teria também de ter trazer algum benefício ou utilidade significativa para a sociedade, o que não me parece que seja o caso. Para além disso, o que se faz durante todo o texto é apresentar um conjunto de características que os guarda-chuvas reúnem, que os permite distinguir e avaliar de modos distintos. Há também que acrescentar que a guardachuvalogia não apresenta de forma desenvolvida quaisquer teorias ou leis credíveis e justificadas, que nos permitam concluir que possa ser uma ciência.
Apesar de não poder ser uma ciência a guardachuvalogia ilustra o senso comum, isto porque o senso comum consiste em crenças amplamente partilhadas, justificadas pela experiência do nosso quotidiana e transmitidas de gerações em gerações de forma acrítica, ou seja, aceite sem que ninguém a ponha em causa.

Em conclusão, a guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência , uma vez que apenas tenta mostrar conhecimentos do senso comum.

Tatiana Raquel Gomes nº22 11ºC

Anónimo disse...

A guardachuvalogia, aparentemente pode parecer uma ciência porém não o é, pois, como é referido no texto,é uma perda de tempo estudar guarda-chuvas e por outro lado a guardachuvalogia não trazia qualquer benefício para a sociedade.
Ao contrario da ciência a guardachuvalogia não explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei. A Guardachuvalogia apenas pretende ilustrar conhecimentos de senso comum, por isso pode ser considerada ciência. Mas para ser uma ciência teria que haver um conjunto de princípios, teorias e leis, teria de existir um sistema de relações, teria que se atingir um objetivo, de provar alguma coisa. Neste caso não se queria provar nem explicar nada, não foram apresentadas teorias ou métodos.

Ana Cruz nº2 11ªC

Mariana Tavares nº17 11ºA disse...

A guardachuvalogia consiste apenas na reunião e organização de várias características de guarda-chuvas, o que ilustra conhecimentos do senso comum.
Para a guardachuvalogia ser uma ciência, era necessário haver teorias e leis para atingir um objectivo provando a veracidade ou a falsidade delas. Coisa que não acontece com esta "pseudociência".
Portanto, na minha opinião, a guardachuvalogia não é considerada uma ciência.

José Alexandre Teixeira 11ºC nº10 disse...

A guardachuvalogia é uma parece ser uma ciência contudo não o é por várias razões. Porque como foi dito pelo criador desta teoria a guardachuvalogia não traz qualquer benefício para o bem comum.
Possivelmente factos que tomamos por certos hoje num futuro irão ser considerados falsos. Logo a guardachuvalogia nunca poderá ser considerada uma ciência.

Nuno nº14 11ºC disse...

No texto são evidenciados dois motivos para que a guardachuvalogia não seja considerada uma ciência. Primeiro, é uma tolice estudar guarda-chuvas. Segundo, porque não traz qualquer benefício ou utilidade para a sociedade.
Eu considero que a guardachuvalogia não se trata de uma ciência pois não é mais do que uma recolha de informação baseada em guarda-chuvas, que posteriormente foi tratada. Desta forma, consiste apenas em conhecimentos do senso comum, pois não explica nenhum padrão nem regularidade de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei.

Anónimo disse...

para mim a guardachuvalogia não é uma ciência pois consiste pelo que entendi na catalogação de dados de forma organizada, o autor registou apenas as características de muitos guarda-chuvas. não explica qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei só descreve.


Ana Rita Almeida nº3 11ºC

Fábioo Silva disse...

A meu ver, a guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência. Isto porque baseia-se apenas nas características observáveis dos guarda-chuvas, apenas descreve e ilustra o que vê.
Para que seja considerado ciência era necessário que tivesse como objetivo a explicação de algum fenómeno e o explicitasse através de padrões e regularidades, sob a forma de lei.

Luís Ramos disse...

A guardachuvalogia consiste somente na catalogação de dados de forma organizada, tendo-se analisado vários fatores relativos a guarda-chuvas, desde o nº de efetivos, ás cores existentes, tamanhos, peso...
LOgo, para mim a guardachuvalogia não é uma ciência pois só descreve, e isso não é considerado ciência!!

Anónimo disse...

Na minha opinião a guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência. Apenas as características de muitos guarda-chuvas sao apresentadas. A guardachuvalogia não é uma ciência porque não explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei.

Lígia Castro nº15 11ºA

Anónimo disse...

A meu ver, a guardachuvalogia não é uma ciência pois apenas se baseia nas características observáveis dos guarda-chuvas, apenas descreve e ilustra o que se vê. Para ser uma ciência era necessário que tivesse como objetivo a explicação de algum fenómeno (uma teoria) e o explicitasse através de padrões e regularidades.

Ana Antunes, nº4, 11ºA disse...

A meu ver, a guardachuvalogia não é uma ciência pois apenas se baseia nas características observáveis dos guarda-chuvas, apenas descreve e ilustra o que se vê. Para ser uma ciência era necessário que tivesse como objetivo a explicação de algum fenómeno (uma teoria) e o explicitasse através de padrões e regularidades.

Anónimo disse...

Aparentemente pode parecer uma ciencia contudo nao o é, pois, como é referido no texto,é uma tolice estudar guarda-chuvas e por outro a guardachuvalogia não trazia qualquer benefício ou utilidade para a sociedade.
Ao contrario da ciencia a guardachuvalogia nao explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei. A Guardachuvalogia pode apenas pretende ilustar conhecimentos de senso comum, sendo que nao pode ser cosiderada ciencia.

André Martins nº4 11ºc

Anónimo disse...

Aparentemente pode parecer uma ciencia contudo nao o é, pois, como é referido no texto,é uma tolice estudar guarda-chuvas e por outro a guardachuvalogia não trazia qualquer benefício ou utilidade para a sociedade.
Ao contrario da ciencia a guardachuvalogia nao explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei. A Guardachuvalogia pode apenas pretende ilustar conhecimentos de senso comum, sendo que nao pode ser cosiderada ciencia.

André Martins nº4 11ºc

Miguel Tomás Nº8 11ºC disse...

A guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciencia pois não traz qualquer benefício ou utilidade para a sociedade.
A guardachuvalogia nao explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, apenas pretende ilustar conhecimentos de senso comum.

Fabio Santos disse...

A meu ver, a guardachuvalogia não é uma ciência pois apenas se baseia nas características observáveis dos guarda-chuvas, apenas descreve e ilustra o que se vê. Para ser uma ciência era necessário que tivesse como objetivo a explicação de algum fenómeno (uma teoria) e o explicitasse através de padrões e regularidades.

Carolina Silva 11º C nº9 disse...

Ao contrario da ciencia a guardachuvalogia nao explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei.
Guardachuvalogia pode ser considerada como um estudo dos guarda-chuvas.

Tago Tojal disse...

Pode parecer uma ciencia contudo nao o é, pois, como é referido no texto,é uma tolice estudar guarda-chuvas e por outro a guardachuvalogia não trazia qualquer benefício ou utilidade para a sociedade.
Ao contrario da ciencia a guardachuvalogia nao explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei. A Guardachuvalogia pode apenas pretende ilustar conhecimentos de senso comum, sendo que nao pode ser cosiderada ciencia.

Anónimo disse...

Na minha opinião a guardachuvalogia não pode ser considerada como uma ciência; apesar de evidenciar imensas características dos guarda-chuvas, não nos fornece as respostas quanto aos seus padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno.
O dito autor desta "ciência" apenas regista os dados que foi encontrando ao longo da sua pesquisa, esquecendo-se de que uma ciência para ser realmente considerada como uma ciência tem que ser devidamente explicada e ter uma utilidade inquestionável, não apenas do senso comum mas sim para um bem comum a toda a comunidade.

Alexandr Ostrovschii nº1 11ºC

Anónimo disse...

Na minha opinião, a guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência, pois apenas se baseia em características observáveis dos guarda-chuvas, no nosso dia-a-dia.
Para ser considerada uma ciência teria que explicar um fenómeno através de leis gerais.

Raquel Martins nº19 11ºA

Anónimo disse...

À primeira vista, guardachuvalogia parece ser uma ciência. Contudo não é, porque como é dito no texto estudar guarda-chuvas é considerado uma perda de tempo e também porque a guardachuvalogia não trazia nenhum benefício à sociedade.
Ao contrário do que acontece com a ciência, a guardachuvalogia não procura explicar os padrões de qualquer tipo de acontecimento, não havendo, por isso, nenhuma lei que os enuncie.
A guardachuvalogia pode ser considerada, no máximo, como o estudo dos guarda-chuvas.

Mariana Nogueira 11ºA, nº16

Roxanne Correia nº19 11.C disse...

A guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência pois apenas é baseada num registo e classificação de dados sobre guarda-chuvas. Apenas retrata o conhecimento do senso comum. Logo não pode ser considerada uma ciência porque não explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei.

Anónimo disse...

Não, a guardachuvalogia não é uma ciência. Esta "perspectiva", se assim a poderemos chamar" não é mais do que uma enumeração de facto sobre guarda chuvas e as suas características, e vai de certa forma de encontro ao chamado senso comum. A ciência e as suas teorias tentam explicar, encontrar factos que comprovem outros factos e assim tentar explicar o que acontece na realidade. Ora, a guardachuvalogia não adianta nenhuma justificação.
Andreia Silva

Anónimo disse...

Apesar da ciência se ocupar de todo e qualquer objecto, a guardachuvalogia, na minha opinião, não pode ser considerada uma ciência. Esta apenas ilustra conhecimento do senso comum, pois nada explica, somente descreve. O autor limitou-se a registar características de um grande número de guarda chuvas (número de efectivos, cores existentes, tamanhos e peso). Assim, embora se tenham criado hipóteses estas referem-se a dados estatísticos.
Joana Vasconcelos nº13 11ºA

Anónimo disse...

Na minha opinião, a guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência. Isto porque apenas se baseia nas características observáveis dos guarda-chuvas, apenas descreve e ilustra o que vê. Para ser uma ciência era necessário que tivesse como objectivo a explicação de algum fenómeno e o explicitasse através de padrões e regularidades, sob a forma de lei.

Ivo Farreca, 11ºA

Carla Duarte disse...

A guardachuvalogia, aparentemente pode parecer uma ciência todavia não o é, pois, como é referido no texto,é uma perda de tempo estudar guarda-chuvas e por outro lado a guardachuvalogia não trazia qualquer benefício para a sociedade.
Ao contrario da ciência a guardachuvalogia não explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei. A Guardachuvalogia apenas pretende ilustrar conhecimentos de senso comum, por isso pode ser considerada ciência.

Anónimo disse...

Nao. Pois para ser considerada ciencia tem de ter utilidade e ainda o conhecimento tem de ser sistematizado, visando criar explicaçoes dos factos conhecidos, o que não é o caso da guardachuvalogia, visto que estudar guarda-chuvas não tem qualquer utilidade para a sociedade. Para ser ciência, importa que descobramos o como e o porquê das coisas acontecerem e nao apenas descrever, como fez David.

Daniela Coutinho nº8 11A

Mariana Tavares nº17 11ºA disse...

A guardachuvalogia é baseada no senso comum e consiste apenas em registar características de um número significativo de guarda-chuvas. Como não tem um objectivo nem explica nada através de leis, mas apenas mostra o que podemos observar penso que a gueardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência.

Pedro Martins 11ºc disse...

Na minha opinião a guardachuvalogia não pode ser considerada uma ciência. Apenas as características de muitos guarda-chuvas sao apresentadas. A guardachuvalogia não é uma ciência porque não explica os padrões e regularidades de qualquer tipo de fenómeno, nem os enuncia sob a forma de lei.

Anónimo disse...

A guardachuvalogia é uma parece ser uma ciência contudo não o é por várias razões. Porque como foi dito pelo criador desta teoria a guardachuvalogia não traz qualquer benefício para o bem comum.
Possivelmente factos que tomamos por certos hoje num futuro irão ser considerados falsos. Logo a guardachuvalogia nunca poderá ser considerada uma ciência.

Tiago Melo nº22 11ºA