quinta-feira, 21 de outubro de 2010

ACÇÃO BEM-SUCEDIDA E ACÇÃO FALHADA

Uma acção não é um acontecimento como um tremor de terra ou a queda de uma folha morta. A acção, tal como o acontecimento, gera uma modificação no mundo, mas esta modificação, por muito pequena que seja, jamais será anónima ou cega. Trata-se sempre da acção de alguém. Dizer que uma acção é intencional é também sublinhar que uma acção tem sempre uma finalidade. O agente não age por agir. Ele age por ou em vista de qualquer coisa, porque visa um resultado, porque o seu gesto tem um sentido, e o termo “sentido” deve ser entendido em todas as suas acepções, seja como percepção (órgão dos sentidos), como direcção (o fim visado) ou ainda como significação (aquilo que esse fim significa para o actor). Esse fim ou objectivo está incluído na nossa noção de acção.
Aos olhos da maioria dos homens, parece não restarem dúvidas de que também os símios, os burros ou as girafas são criaturas agentes. Outras entidades, como os extraterrestres, no caso de existirem, podem igualmente ser consideradas possíveis candidatos.
Há inúmeras situações que nos permitem ir mais longe na reflexão. Se o bom do Sérgio dá uma bofetada no Alberto quando visava a cara do Raul, esta bofetada é uma verdadeira acção, ainda que o objectivo do Sérgio não fosse esbofetear o Alberto, mas o Raul. Neste caso não se trata de uma não-acção ou de um acontecimento, mas de uma acção falhada, em resultado da ocorrência de um erro. Uma acção é bem-sucedida se o resultado obtido pelo gesto corresponde ao resultado esperado. Uma acção é falhada se o resultado obtido não lhe corresponde. Sublinhe-se, de seguida, que uma acção pode ter inúmeros efeitos colaterais. Com a ajuda de um martelo, o Paulo espeta um prego para pendurar um quadro na parede da sua sala. A martelada dada pelo Paulo espeta o prego efectivamente. Porém, a história não acaba aí. Esta martelada também provoca um barulho ensurdecedor, trespassa a parede, acorda e fura a orelha do vizinho do Paulo, esmaga o polegar do Paulo, faz jorrar gesso e sangue sobre o tapete da sala do Paulo e sobre o tapete do quarto do seu vizinho. Não há dúvida de que o Paulo alcançou o seu objectivo, mas as razões da sua martelada não coincidem com os efeitos provocados. Enfim, registe-se ainda, que há casos nos quais o objectivo visado é alcançado pelo actor sem que a causa da acção pelo qual o objectivo se cumpre coincida com o objectivo. Imaginemos que o Pedro queria matar a sua madrasta e que, atormentado pela ideia, se enfurece e inadvertidamente esmaga um peão disfarçado de palhaço que, por acaso, é a sua madrasta. O Pedro esmagou a sua madrasta e atingiu, portanto, o seu objectivo. Todavia, a causa dessa acção não coincide com o objectivo perseguido pelo Pedro. Pedro, ainda que quisesse liquidar a sua madrasta e efectivamente a tenha liquidado, não realizou a acção de liquidar a sua madrasta. “Ter feito” não significa “ter realizado uma acção”. Uma primeira conclusão parece ser a seguinte: o mesmo gesto fenomenológico pode ser ou não ser uma acção, a mesma acção numérica pode ser bem-sucedida ou falhada, uma acção pode provocar inúmeros efeitos colaterais, o objectivo perseguido pode ser atingido sem que a razão da acção que permite atingi-lo corresponda ao seu objectivo.
FERRET, Stéphane, Aprender com as Coisas – uma iniciação à filosofia, 1ª edição, 2007. Lisboa: Edições Asa, pp. 85-89

Nas próximas aulas vamos iniciar o estudo de uma importante disciplina filosófica: a Filosofia da acção. O primeiro problema que iremos tentar dar resposta é: o que é uma acção? Investiga e tenta dar uma resposta ao problema colocado. Deixa o teu contributo na caixa dos comentários.

24 comentários:

Anónimo disse...

Uma acção é um acontecimento que é feito por alguém. Isto é, por um agente, que tem de ser um ser humano. Nenhum outro animal pode, portanto ser um agente, por mais que isso nos possa parecer possível. Mas, contudo, nem todos os acontecimentos realizados por uma pessoa são considerados uma acção, pois por vezes as pessoas fazem algo sem qualquer intenção. Ora, consideramos então, que uma acção é um acontecimento realizado por um agente (uma pessoa) que visa uma certa finalidade, ele age sempre com uma intenção.

Sara Fernandes n.º20 10.ºC

Carlos Miguel Nº7 10ºC disse...

Uma acção é aquilo que é feito por alguem, acontecimento esse que resulta directamente de sua vontade de executar a acção da pessoa...
Sendo assim só se consideram acções os acontecimetos causado de forma intencional pelo corpo.

O simples movimento corporal nao é suficiente para desenpenhar uma acção se esta nao for intencional..

Tiago Tojal disse...

Uma acção é algo que o ser humano pssa ter feito seja com intenção ou sem intenção de o fazer...

Sara Oliveira, 10ºC, nº21 disse...

Uma Acção é um acontecimento exercido por alguem.
Mas esse acontecimento é algo que uma pessoa fez com intenção, não é algo que acontece sem intenção.

Tatiana disse...

Uma acção é aquilo que é feito intencionalmente por alguém.
Já um acontecimento resulta directamente da vontade de uma pessoa, é algo que a pessoa faz com a intenção de o fazer.
Uma acção pode ser bem-sucedida ou falhada, e pode causar efeitos colaterais que não estavam previstos acontecer.
O movimento corporal não é necessário nem suficiente para a existência uma acção.

Tatiana Raquel Pereira nº22...10ºC

Nuno nº14 10ºC disse...

Uma acção é um acontecimento que alguém faz com uma intenção/finalidade. Esse alguém é chamado de agente e é, obrigatoriamente, uma pessoa. Porém, alguns acontecimentos realizadas por certa pessoa podem não ser consideradas acções, se estes forem feitos sem intenção.

Ricardo Silva Nº18 10ºC disse...

A acção é aquilo que é feito por alguém. Mas uma acção é muito mais do que isso, as acções devem ser ponderadas e pensadas antes de serem feitas, pois isso irá levar a consequências. Se nos fizermos uma acção com intenção e com empenho isso irá levar a que esta seja bem-sucedida mas se "a fizermos por fazer" esta pode fracassar e por vezes ter conequências negativas.

Luís Ramos disse...

Para mim uma acção é tudo o que uma pessoa faz, todos os acontecimentos. Ás vezes fazemos acções boas, outras vezes fazemos acções que as outras pessoas não gostam.

Paula, Nº15 10ºC disse...

Acção é aquilo que é feito intencionalmente por alguém, um acontecimento que resulta directamente da vontade de um agente. Uma pessoa pode causar um acontecimento sem que o tivesse previsto, desejado ou controlado, neste caso não se trata de uma acção. Apenas aos acontecimentos causados por alguém de forma intencional, e que têm em vista obter algum resultado, se pode apropriadamente chamar "acções".

Anónimo disse...

Uma acção, é um acto que um ser pode executar, seja ele racional ou irracional, ou seja, um agente ...
Uma acção pode ser propositada ou despropositada, isto é: podemos querer fazer algo para alcançar um certo objectivo mas não o conseguimos alcançar pois as suas agravantes não são aquilo que esperávamos e/ou sem querer, podemos atingir o nosso objectivo sem esperarmos que obtenhamos o resultado desejado, mas, nesse caso a acção torna-se não realizada pois concluímos o nosso objectivo sem nenhuma acção para a sua obtenção.

Alexandr Ostrovschii nº1 10ºA

José Alexandre Teixeira disse...

Uma acção é algo que é feito por uma pessoa com a intenção de fazer tal.
Logo, uma pessoa que por acaso, possa cair sem intenção, não é uma acção que possa ter feito, pois não tinha intenções para tal.

Contudo, as acções podem trazer efeitos secundários, por vezes não pretendidos, neste caso podem encarar-se como consequências quando não são ponderadas correctamente

-José Alexandre Teixeira nº11 10ºC

Roxanne, 10ºC, nº19 disse...

Acção é algo que fazemos com uma intenção, com um objectivo. Há uma diferença entre acção e acontecimento que por muitas vezes baralhamos. Como diz no texto, um tremor de terra não é uma acção porque não houve nem intenção nem objectivo. Mas, pelo exemplo dado no texto, o Sérgio teve a intenção e objectivo de dar uma bofetada no Raul. Apesar da intenção e do objectivo do Sérgio, que formou uma acção, não foi uma acção bem-sucedida, visto que o objectivo não foi cumprido, acabou por dar a bofetada no Alberto.
Uma acção e algo que a pessoa deseja fazer, que faz com objectivo e intenção mesmo que não seja bem sucedida. E não algo que acontece.
(Oh stor, desculpa la o atraso, mas pensei mesmo que já tinha respondido a isto, passei cá para ver se o stor já tinha dito algo e aí e que vi que não tinha comentado.. :S )

Bruno Francisco Lima Nº4 10ºC disse...

Uma acção é o basicamente o acto de fazer algo. Mas uma acção só pode ser considerado acção se for realizada por algum motivo em especifico, como por exemplo o caso do Sérgio que queria dar uma bofetada ao Alberto. Apesar deste não lhe ter acertado e ter acertado no Raul não deixa de ser uma acção mas sim como diz no texto uma acção falhada.
Ou seja uma acção é algo que um individuo faz com intenção.

carina coelho disse...

Uma acção, como todos já disseram, é um acontecimento feito por alguém.
Mas uma acção só se pode chamar acção quando é feita propositadamente, e não só por se fazer. Cada acção pode ser bem sucedida mas também pode correr mal (falhada)...
Uma acção é feita com uma finalidade...

Anónimo disse...

Uma acção é um acontecimento que envolvem agentes, ou seja, consiste naquilo que o individuo faz, esta acção praticada pelo agente tem de ser intensional, caso contrario já não é uma acção , mas sim somente um acontecimento. ana cruz nº1 10ºc

Carla Duarte disse...

uma acção é um acontecimento realizado por uma pessoa e intencionalmente. por exemplo quando tropeçamos e caímos isto não pode ser considerado uma acção porque não foi intencional.

Isabel disse...

Alexandre Ostrovschii - 10ºA, depois da aula sobre o conceito de ACÇÃO, que ocorreu hoje, talvez possas reformular o teu comentário.
Tua professora: Isabel

Marco Martins 10ºB Nº16 disse...

Uma acção é algo que que e feito por alguém,com algum objectivo que pode ser satisfatório (ou não).

Anónimo disse...

Uma acção é algo que um ser humano faz com intenção. Essa acção pode ser bem-sucedida ou falhada e pode causar efeitos não previstos anteriormente. Par uma acção ser bem-sucedida tem de ser bem pensada, se for feita por fazer e não for pensada pode fracassar.
Carolina Almeida nº9 10ºc

Carolina Silva nº8 10C disse...

Uma acção é feito intencionalmente por alguém, pessoa, ser humano racional, mais nenhum ser vivo o pode fazer. Todos os acontecimentos são considerados acções mas isto vai depender da sua intenção que este foi feito. Mas em vista quem sofre estas as acções provocadas pelos agentes acha quase sempre que as acções foram feitas com intenção.

marcia disse...

Uma acção é um acontecimento. Mas não é um qualquer acontecimento, por exemplo , um tremor de terra ou a queda de uma folha seca, não são acções , pois , este tipo de coisas, são fenomenos da natureza. Uma acção é realizada sempre por um agente, agente esse que tem as suas crenças e os seus desejos ao realizar essa acção .


Márcia Almeida nº13 10ºC

Carolina Almeida, nº9, 10ºC disse...

Uma acção é um acontecimento provocado por um agente intencionalmente. Para ser considerado uma acçao tem de existir um agente que a provoque e tem de ser intencionalmente. Por exemplo, eu dar um murro em alguem para lhe partir o nariz e uma acçao, houve um agente-> eu ; e houve uma intençao-partir-lhe o nariz.

Anónimo disse...

pelos vistos não pode ser qualquer ser a fazer uma acção, para que exista uma acção o ser vivo tem de ser uma pessoa ( o agente) se isso não acontecer então não é uma acção.

Ana Rita Almeida nº2 10ºC

carina coelho disse...

uma acção não se deve confundir com um acontecimento. todas as acções são acontecimentos, mas nem todos os acontecimentos são acções. Isto porque, para que seja uma acção tem que haver a intervençao de um agente. Por exemplo, um terramoto, isto é um acontecimento, não é uma acção, porque não há intervenção de nenhum agente.