sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Emotivismo

O meu nome é Ima Emotivista. Abracei o emotivismo quando tive conhecimento de que os juízos morais expressam apenas sentimentos e não juízos verdadeiros ou falsos.
Eis como me tornei emotivista. Estudo filosofia e química, e interesso-me em particular por filosofia da ciência. A. J. Ayer é o meu filósofo favorito. Como Ayer, respeito o método científico, que considero o único modo de conhecer o mundo. O método científico faz-nos propor um ponto de vista e depois fazer experiências para ver se esse ponto de vista é correto. Um ponto de vista tem de ser testável por intermédio da experiência sensível ou não faz sentido. Esta é a ideia que suporta a filosofia de Ayer, a que ele chamou positivismo lógico.
Estou a simplificar em demasia. Para ser mais preciso, tenho de usar alguns termos técnicos; espero não te maçar. O positivismo lógico afirma que só dois tipos de frases fazem genuínas afirmações de verdade (afirmações que são verdadeiras ou falsas). Há, primeiro, as proposições empíricas, que podemos, em princípio, mostrar por intermédio da experiência sensível que são verdadeiras ou, pelo menos, altamente prováveis. Em segundo lugar, há as proposições analíticas, que são verdadeiras devido ao significado das palavras. Eis alguns exemplos:
Empíricas (testáveis por intermédio da experiência sensível): "Está a nevar."
Analíticas (verdadeiras por definição): "Todos os celibatários são solteiros."
A proposição empírica pode ser testada por intermédio da experiência sensível; vais lá fora e olhas para a neve. A proposição analítica é verdadeira por definição, uma vez que "celibatário" significa "solteiro"; assim, não precisamos de estudar os celibatários para sabermos que a proposição é verdadeira. Em geral, a ciência é empírica e a matemática analítica. Espero que estejas a perceber a ideia.
O positivismo lógico alega que qualquer afirmação de verdade genuína é empírica (testável por intermédio da experiência sensível) ou analítica (verdadeira por definição). Se a tua afirmação não pertence a nenhum destes dois tipos, então não tem sentido. Vejamos um exemplo. Suponhamos que dizes que "A verdade é espiritual" ― a tua afirmação não é empírica (testável por intermédio da experiência sensível) ou analítica (verdadeira por definição). Então não estás a dizer nada que possa ser verdadeiro ou falso. Estás talvez a exprimir sentimentos. Mas não estás a fazer uma afirmação de verdade se o que dizes não é empírico ou analítico.
Como é que o positivismo lógico pode ser aplicado à ética? A ética é empírica? Será que afirmações como "X é bom", como as afirmações da química, podem ser testadas por intermédio da experiência sensível? Parece que não.
Aqui talvez seja melhor irmos mais devagar. O naturalismo afirma que "bem" pode ser definido usando ideias retiradas da experiência sensível. Por exemplo, o relativismo cultural define "bem" como "aprovado socialmente". Se esta definição fosse adequada, então "X é bom" seria uma afirmação empírica genuína; poderíamos testar a sua verdade testando se X era socialmente aprovada. Esta afirmação faria da ética um ramo da sociologia. Infelizmente, estas definições não são adequadas. Na nossa linguagem "bem" não significa "socialmente aprovado", uma vez que é consistente dizer que algumas coisas socialmente aprovadas não são boas. Se conheces a famosa refutação que Moore fez do naturalismo, este ponto deve ser-te familiar.
Assim, os juízos morais não são empíricos; os princípios morais não podem ser provados ou refutados por intermédio da experiência sensível. Serão analíticos (verdadeiros por definição)? Parece que não. Logo, os juízos morais não são empíricos nem analíticos. Segue-se que exprimem, não afirmações de verdade genuínas, mas na melhor das hipóteses os nossos sentimentos acerca das coisas. Este é o raciocínio de Ayer, e eu penso que é sólido. Se aceitamos uma atitude científica para com o mundo, somos levados inevitavelmente a uma abordagem emotivista da ética.
Contudo, a atitude científica não é a única via para o emotivismo. O meu namorado estuda Literatura Inglesa e não se interessa por ciência. Mas ele gostou do emotivismo quando lho expliquei. Disse que fazer de "bem" algo emocional aproxima-o do reino da poesia (o verdadeiro amor do meu namorado) e afasta-o da "ciência, fria e impessoal". Ele gostou logo do emotivismo e nem quis ouvir o raciocínio com que o defendo.
Harry J. Gensler, Ethics ― a contemporary introduction, Routledge, London, 1998, pp. 59-70.

TAREFA:
Em que consiste o positivismo lógico?

27 comentários:

silvia disse...

O positivismo lógico defende que qualquer afirmação de genuína é empírica que é quando é testável por intermédio da experiência sensível e depois temos a analítica que é quando é verdadeira por definição. Se por acaso dizermos que uma afirmação não pertence a nenhum destes dois tipos a nossa afirmação não tem sentido. Sílvia Sousa

Roxanne, 11ºC, nº19 disse...

O positivismo lógico diz que existem apenas dois tipos de frases que sao genuinamente verdadeiras :
-as proposições empíricas - São aquelas que normalmente podemos provar por intermédio da experiência sensível que são verdadeiras.
-as proposições analíticas - que são verdadeiras devido ao significado das palavras.
Se a afirmação que fizermos não pertencer a nenhum destes dois tipos de frases então o que estivermos a afirmar será absurdo, não será nem verdadeiro nem falso. Por exemplo, dizer que "a verdade é espiritual" não faz sentido, porque não pode ser provada de forma empírica (visto que não há maneira de por intermédio da experiência sensível o demonstrar) ou de forma analítica (visto que através do significado das palavras não faz sentido !)

Fábio Martins disse...

O positivismo lógico diz-nos que qualquer afirmação verdadeira genuína é empírica (por exemplo: está a nevar) ou analítica (por exemplo: todos os celibatários(solteiros) são solteiros). Se a afirmação nao pertencer a um destes dois tipos, então não tem sentido.

Fábio Martins Nº11 10ºD

Anónimo disse...

Positivismo lógico é uma posição filosófica geral, também denominada empirismo lógico ou neopositivismo, desenvolvida por membros do Círculo de Viena com base no pensamento empírico tradicional e no desenvolvimento da lógica moderna.

O positivismo lógico afirma que existem somente dois tipos de formas de frases que as torna genuinamente verdadeiras:

->A forma empírica, aquela que conseguimos provar através experiência sensível.
->A forma analítica, aquela que conseguimos provar através do significado das palavras aí expressas.

Se afirmarmos algo que não for empírico nem analítico então essa afirmação não é verdadeira, mas também poderá não ser falsa; será simplesmente uma frase que exprimirá sentimentos e emoções.

Alexandr Ostrovschii nº1 11ºC

äЯπăŇÐ0 disse...

Positivismo lógico é uma posição filosófica geral, também denominada empirismo lógico ou neopositivismo.
O positivismo lógico diz-nos que qualquer afirmação verdadeira genuína é empírica ou analítica.
Se a afirmação nao pertencer a um destes dois tipos, então não tem sentido.

Anónimo disse...

O positivismo lógico diz-nos que qualquer afirmação de verdade genuína é empírica quando o podemos comprovar através de uma experiência ou analítica quando esta e verdadeira através de uma preposição.
Se a afirmação não pertencer a um destes dois tipos, então não tem sentido.
Cristina Duarte nº9

Anónimo disse...

O positivismo lógico diz que só dois tipos de frases fazem genuínas afirmações de verdade, as proposições empíricas, que por intermédio da experiência podemos provar se são verdadeiras ou pelo menos, altamente prováveis e as proposições analíticas, que são verdadeiras devido ao significado das palavras. se uma afirmação não pertencer a nenhum destes tipos, a afirmação não tem sentido.



Andreia Santos Nº2 10ºD

Anónimo disse...

Emotivismo é é a teoria segundo a qual não há factos morais. Logo, os juízos morais são apenas expressões dos sentimentos de reprovação ou aprovação de cada um, não tendo valor de verdade.

Inês Ferreira, nº15 10ºD

Anónimo disse...

Emotivismo é é a teoria segundo a qual não há factos morais.Assim, os juízos morais são apenas expressões dos sentimentos de reprovação ou aprovação de cada um, não tendo valor de verdade.

Lígia Castro nº15 11ºA

Anónimo disse...

O positivismo lógico diz-nos que qualquer afirmação verdadeira genuína é empírica quado é testável por intermédio da experiência sensível (por exemplo: está a nevar) ou analítica que é quando é verdadeira por definição (exemplo: todos os celibatários são solteiros). se uma afirmação não pertencer a nenhum deste caso entao não tem nenhum valor de verdadeou seja não tem sentido.

assinado catarina silva 10ºD nº8

raquel disse...

o positivismo lógico defende que so as afirmações analiticas e empiricas são verdadeiras .
as analiticas são aquelas que são verdadeiras pelo significado das suas palavras e as analiticas sao aquelas que podem podem ser provadas através da experiencia . se a afirmação não tiver um destes dois sentidos então não é verdadeira . é falsa !

Anónimo disse...

O positivismo lógico consiste na ideia de que um ponto de vista tem de ser testável por intermédio da experiência sensível ou então, não faz qualquer sentido.
No positivismo lógico apenas dois tipos de frases fazem afirmações de verdade, estas são as proposições empíricas que mostram através da experiência sensível que são verdadeiras; E as proposições analíticas que mostram que são verdadeiras devido ao significado das palavras.

Susana Valério 10ºD nº26

Anónimo disse...

O positivismo lógico alega que uma expressão só tem valor de verdade se for empírica (ou seja, pode ser comprovada através de experimentação sensível como por exemplo: "Está a chover!") ou analítica (ou seja, é verdadeira por definição, como por exemplo, "Todos os celibatários são solteiros."). Se uma afirmação não é nem empírica nem analítica, segundo o positivismo lógico não é verdadeira, pelo que podemos afirmar que é absurda.

Daniel nº10 10ºD

Anónimo disse...

O positivismo lógico defende que qualquer afirmação genuína é empírica ou analítica.
E se disser-mos que uma afirmação não pertencer a qualquer um destes tipos não tem sentido.


Ângela Correia nº4 10ºD

Anónimo disse...

Positivismo lógico é uma posição filosófica geral desenvolvida por membros do Círculo de Viena com base no pensamento empírico tradicional e no desenvolvimento da lógica moderna.
O positivismo lógico restringiu o conhecimento à ciência e utilizou o verificacionismo para rejeitar a Metafísica não como falsa, mas como destituída de significado. A importância da ciência levou positivistas lógicos proeminentes a estudar o método científico e explorar a lógica da teoria da confirmação.
Pedro Silva nº19 10ºD

Anónimo disse...

O positivismo lógico é uma posição filosófica geral, também denominada empirismo sendo feita feita com base no pensamento empírico tradicional e no desenvolvimento da lógica moderna. O Positivismo Lógico consiste em apenas uma tarefa, que é a análise da linguagem, sendo que duas tendências são ramificadas: A análise da linguagem normal e comum (ou aquela que utilizamos no dia-a-dia) e a análise da linguagem científica.

Ricardo Costa nº21 10ºD

Anónimo disse...

O emotivismo é uma perspectiva acerca dos juízos morais muito semelhante ao subjectivismo, no entanto tenta escapar às objecções que este sofreu. Ambas as teorias partilham a ideia de que os juízos morais dependem dos sentimentos de cada pessoa .
Todavia, segundo os emotivistas, quando exprimimos juízos morais, estamos apenas a exprimir emoções e a tentar convencer os outros a agir de uma certa maneira . Segundo esta perspectiva , os juízos morais não retratam qualquer facto , e por isso não são verdadeiros nem falsos .

Anónimo disse...

ultimo comentário foi feito por:
Sónia Ribeiro 10ºD Nº25

Anónimo disse...

O positivismo lógico diz que existem dois tipos de frases que são puramente verdadeiras, as proposições empíricas que são aquelas que normalmente podemos provar se são verdadeiras ou falsas por intermédio da experiencia sensível, por exemplo "está a chover", e as proposições analíticas que são verdadeiras devido ao significado das palavras, por exemplo “todos os celibatários(pessoas solteiras) são solteiros"a. Se uma afirmação não pertencer a nenhum destes tipos, a afirmação não tem sentido, é absurda e não será verdadeira nem falsa.

Ana Beatriz nº1 10ºD

Anónimo disse...

Emotivismo é é a teoria segundo a qual não há factos morais.o positivismo lógico defende que so as afirmações analiticas e empiricas são verdadeiras . Andreia Santos

Anónimo disse...

O positivismo lógico diz-nos que qualquer afirmação de verdade genuína é ímpirica ou seja que é testada por intermédio de experiência sensível ou analítica uo seja que é verdadeira por definição.Então se uma afirmação não pertencer a nenhum destes tipos, então não tem sentido.

Sílvia Marques nº23 10ºD

Anónimo disse...

O positivismo lógico afirma que só dois tipos de frases fazem genuínas afirmações de verdade, as proposições empíricas, que podemos, em princípio, mostrar por intermédio da experiência sensível que são verdadeiras e as proposições analíticas, que são verdadeiras devido ao significado das palavras.

Bruno Henriques Nº6 10ºD

Anónimo disse...

O positivismo lógico defende que qualquer afirmação é verdadeira genuína e impírica ou analítica. Se alguma afirmaçãop não pertencer a estes dois tipo , então a afirmação não tem sentido .

Sofia Rodrigues nº24 10ºD

Anónimo disse...

O positivismo lógico defende que qualquer afirmação é verdadeira genuína e impírica ou analítica. Se alguma afirmaçãop não pertencer a estes dois tipo , então a afirmação não tem sentido .

Sofia Rodrigues nº24 10ºD

Anónimo disse...

Positivismo lógico é uma posição filosófica geral, também denominada empirismo lógico ou neopositivismo, desenvolvida por membros do Círculo de Viena com base no pensamento empírico tradicional e no desenvolvimento da lógica moderna.O positivismo lógico restringiu o conhecimento à ciência e utilizou o verificacionismo para rejeitar a Metafísica não como falsa, mas como destituída de significado. A importância da ciência levou positivistas lógicos proeminentes a estudar o método científico e explorar a lógica da teoria da confirmação.
ass andre

Anónimo disse...

O positivismo lógico defende que as frases se dividem em dois tipos, as empíricas e as analíticas, as primeiras podem provar-se através de experiências sensíveis, isto é, na constatação de factos através de experiências como observar se está a chover ou tocar no algodão para verificar que é fofo, e as segundas são verdadeiras por definição, isto é, por causa do significado associado às palavras utilizadas. Se fizermos uma afirmação que não é nem empírica nem analítica, isto é, que não pode ser explicada por uma destas formas, então podemos e provavelmente estamos meramente a expressar sentimentos, pois a afirmação não terá sentido de outra forma.
Francisca Silva
Nº14/10ºD

Anónimo disse...

O positivismo lógico defende que qualquer afirmação de genuína é empírica que é quando é testável por intermédio da experiência sensível e depois temos a analítica que é quando é verdadeira por definição. Se por acaso dizermos que uma afirmação não pertence a nenhum destes dois tipos a nossa afirmação não tem sentido
Carolina Almeida nº7 10ºD